Velho Milongueiro
Velho Milongueiro
Metendo O Pau
-
Quando eu era gurizote fui morar com meu avo
Lá estava minha prima e o namoro começou
Já se fomos pra capoeira e uma aranha me picou
Quando viu a picadura minha prima desmaiou
Por causa disso eu sou que nem um lobo mau
Eu não posso ver aranha que já vou metendo o pau
Metendo o pau, metendo o pau
Não posso ver aranha que já vou metendo o pau

Num lugar mal assombrado que passei no fim do dia
Disseram que a meia noite um fantasma aparecia
De repente no escuro me pulou uma coisa fria
Uma baita perereca que até hoje me arrepia
Por causa disso eu sou que nem um lobo mau
Eu não posso ver perereca que já vou metendo o pau
Metendo o pau, metendo o pau
Não posso ver perereca que já vou metendo o pau

Numa sexta-feira treze quando o dia terminou
Tinha um bicho cabeludo e no escuro me avançou
Era um tamanduá bandeira, por sorte não me pegou
Matei o bicho de susto mas o medo não passou
Por causa disso eu sou que nem o lobo mau
Sendo bicho cabeludo eu já vou metendo o pau
Metendo o pau, metendo o pau
Sendo bicho cabeludo eu já vou metendo o pau.