Gaúchas
Lisandro Amaral
Chamando Tropa
-
Nem bem a tarde lobuna assombrou o outono
Me achou empurrando tropa num chamamé
O gado em pêlo de maio e sina marcada, vai pra charqueada
Boqueando poeira de estrada, rumo a Bagé

Não fosse 'os tempo'de tropa, grito e cachorro
Não fosse 'as volta' do Inácio, que é bom ponteiro
Bandeava o São Luiz com chuva, tormenta e raio estropiava o baio
Altar de campo e distância, irmão tropeiro

refrão
Vai, num mouro bueno, Inácio Leal
Chamando a ponta da tropa que nega a água
Deixando a querência perdida lá no Uruguay


Cambona, cincerro, espora, o arreador
Mugido e grito de "venha...arrrarrrá...se foi!..."
No rastro do contrabando eu conheço o pago e venho cansado
De tanto 'mudá' cavalo, pechando boi

São Pedro, protege 'os bueno' que vem da lida
De poncho a escorrer na anca, pesado e frio
E sabem que nada a tropa na Ferraria, que judiaria!
Mesclando poeira de estrada e espuma de rio.